Gestão Doria infla dados de despesas com Autódromo de Interlagos e manutenção dos parques para justificar concessões

Gastos com autódromo caem ao longo dos anos e seu lucro cresce

“Você acha que faz sentido gastar 120 milhões de reais por ano com um autódromo, caso de Interlagos, ou 185 milhões para manutenção de parques?”

SP_etiquetas_05_falso

Em seu vídeo de balanço do primeiro ano de gestão, João Dória declara que são gastos anualmente 120 milhões para a manutenção do Autódromo de Interlagos. A declaração do ex-prefeito vai no sentido de alegar que os gastos de sua gestão estão focados em serviços essenciais à população e reforçar os benefícios do plano de desestatização municipal.

Segundo dados fornecidos pela SPTuris através da Lei de Acesso à Informação (LAI), as despesas do Autódromo no ano de 2017 foram de R$32.736,6 milhões, mantendo-se abaixo das despesas dos anos de 2016 e 2015, totalizando R$38.282,4 e R$39.603,4 milhões em despesas, respectivamente.

A partir dos mesmos dados, é possível verificar que entre 2015 a 2017, o Autódromo teve seu maior resultado líquido em 2017, dispondo de R$9.886,3 milhões de lucro.  Para além do resultado líquido, é importante lembrar que o GP do Brasil da Fórmula 1 é o evento de maior impacto na Capital em relação ao gastos dos turistas e o investimento no evento, como está disponível neste relatório.

No mesmo vídeo que João Dória faz menção aos gastos do Autódromo, ele também alega que a despesa com a manutenção dos parques chega a 185 milhões por ano.

Através de análise do consolidado de despesas de todos os parques da cidade, verificamos que os gastos com a manutenção dos parques foi, na verdade, de R$115.623.570,60 em 2017, 70 milhões a menos do que o alegado pelo ex-prefeito . As despesas que compõem este consolidado são referentes a manejo, vigilância, água, luz e telefone.

Por Andréia Pereira

Resposta da Prefeitura

Em relação aos parques da cidade, a Secretaria do Verde e Meio Ambiente informa que em 2017 foram gastos R$117.061.136,42 (manejo, vigilância e limpeza) e R$5.936.615,40 em água, luz e telefone, totalizando R$ 122.997.751,82.

Contudo, vale ressaltar que, ano passado, a pasta ficou quatro meses sem contratos de manejo, vigilância e limpeza para os parques. Caso os contratos estivessem ativos durante todo o ano de 2017, o custo total seria de R$181.528.320,03, incluindo manejo, vigilância, limpeza, água, luz e telefone.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Site hospedado por WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: